Os Tipos de torra de café



Sabemos que existem diversos tipos de café no mundo, porém um dos fatores mais importantes para definir as suas características é o processo de torra. Já deu para perceber que é durante a torra que se define o sabor, aroma e coloração do café.


É o tempo de torrefação em altas temperaturas que vai determinar as diversas tonalidades, níveis de sabor, aroma, corpo, acidez, amargor, finalização, equilíbrio, entre outros aspectos da bebida.


Assim, o mesmo grão de café gourmet pode ter características, dependendo do ponto de torra escolhido.


Basicamente, há 3 tipos de torra de café: clara, média e escura, cada uma produzindo um grão diferente, dependendo do sabor desejado na bebida.


Em geral, os grãos mais torrados resultam em um café menos ácido e encorpado, sendo que os menos torrados vão apresentar menos aroma.


Como é a quantidade de calor que define a coloração dos grãos, quanto maior a temperatura, mais escuro ele fica, podendo também mascarar os defeitos ou alteração no grão do café.


Portanto, as altas temperaturas ajudam a destacar algumas características, mas também podem destruir outras. Veja os três tipos de torra de café abaixo:


Torra clara ou light

Essa torra torna o café mais suave, pouco amargo e mais ácido. Portanto, ela acentua a acidez cítrica e os aromas florais do café, enquanto diminui o seu amargor.


Ao diminuir o tempo de torra, o processo reserva os óleos aromáticos dos grãos, produzindo um café menos encorpado e mais seco, de sabor mais suave. A temperatura para essa torra varia entre 180 a 240 °C.


Ela é ideal para cafés extremamente finos e delicados, como os usados em máquinas de café espresso. É também conhecida por torra “Light”, “Cinnamon” (canela), “New England”, “Half-city”, por conta da cor.


Torra média ou medium

A torra média, como o próprio nome já pode indicar, busca o equilíbrio das características do café, podendo ser um meio-termo entre a torra clara e a escura.


Neste caso, o resultado é de um amargor, aroma, acidez e corpo equilibrados, e em tonalidades diferentes que vão do marrom ao vermelho.


Há uma intensa caramelização dos açúcares e a decomposição dos ácidos naturais, diminuindo os óleos essenciais do grão.


Dessa forma, o café fica mais encorpado, com sabor aveludado, menos ácido, rústico e mais intenso, prolongando o sabor na boca. Essa torra é perfeita para um café coado em filtro de papel ou coador de pano.


O processo de torra completo pode durar cerca de 7 a 11 minutos, dependendo do sabor e coloração desejados.


Torra escura ou dark

A torra escura produz um café mais forte, com o menor nível de acidez, mais amargor e menos corpo. Isso porque os óleos são preservados no grão, auxiliando a acentuar o sabor e aroma da bebida.


Em relação à cor, as tonalidades são obviamente mais escuras, em tons amarronzados fortes. No entanto, é fundamental prestar mais atenção à queima dos grãos, para que os grãos sejam bem torrados, sem ser queimados.


Um grão de café queimado resulta em uma bebida amarga, sem acidez e aroma. Por isso, é importante controlar o tempo de torra, que deve se manter por no máximo 12 a 13 minutos.


Essa torra é perfeita para quem deseja um café forte, com sabor robusto e aroma intenso, podendo ser utilizada em diferentes máquinas de café.


Normalmente o sabor é comparado a notas de chocolate e caramelo, por isso a impressão de um café mais forte. A torra é também conhecida como “Espanha”, “Cuba” ou “French-roasted”.


Pronto! Agora que você conhece as diferentes torras de café, sabe que o processo de torrefação é decisivo para a formação das características de aroma e sabor da bebida.


Lembrando também que cada grão se comporta de uma maneira durante esse processo. Portanto, quando for escolher o seu café, não se esqueça de conferir o grau da torra.

Fonte: www.reviewcafe.com.br

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo